quinta-feira, 4 de junho de 2009

Podem ter certeza, procuro ler tudo que escrevem a meu respeito. Mesmo aqueles comentários ainda carentes de um pouco mais de respeito. Estou feliz! Feliz por meu livro ter trazido à tona questões tão importantes. Feliz com os novos amigos! “A vida é a arte do encontro...” Viva Vinícius de Moraes! Gostaria de encontrar cada um de vocês pessoalmente...

Fui convidada a entrar no blog da Cristiana Soares que comentou aqui. Achei muito legal o texto que ela escreveu a respeito de mim e do meu livro. Imaginei então, ulitilizando suas palavras, nosso encontro aqui:

-Oi, Cristiana Soares! Como vai? Adorei seu blog CrisTalk!

- Oi Mariana, você disse- Mulheres que não conseguem ter seus filhos através de parto natural têm problemas de ego e amamentar é para as mães que merecem....

- Peraí, eu não quis dizer isso, não! Olha só, não faz nenhum sentido... Foi coisa de repórter sensacionalista. Disse que o trabalho de parto prepara a mãe para ser melhor..., melhor ser humano, melhor mulher! É, ou não é? Mas sei que existem mulheres que precisam da cesariana, eu mesma fui uma delas... Só fico assim um pouco impressionada, com aquelas que se recusam a viver o processo, e com esse sistema doido de médicos e valores consumistas, que quer nos tirar o direito de receber estes presentes da natureza!

- É que por uma razão ou outra (muitas vezes pressão médica) a mãe não conseguiu, paciência. Isso não vai ser determinante para uma melhor ou pior maternidade. O que define a relação com os filhos é um complexo de coisas. Começar parindo e amamentando, ajuda bastante. Mas não define. Se fosse assim, mães adotivas não seriam boas mães.

-Concordo plenamente! Tenho várias amigas que adotaram filhos e vejo que algumas são até mais zelosas que eu!!! Meu livro fala a respeito disso.

- Mariana, você deve ter mais cuidado com as palavras ao dar entrevistas ou então, deve pedir para fazer uma revisão antes que as matérias sejam publicadas! (esta é a única frase colocada por mim na boca da Cristiana)

-Pode crer, agora estou mais malandra! Mas tá aí meu livro, que fala por mim! Não condeno quem faz cesaria , nem quem não amamenta... Puxo um pouco a orelha, é verdade, daquelas que dizem não querer parir, nem amamentar! Elas não sabem o que estão perdendo!

-Você fez a mulher moderna e batalhadora, caia da cadeira giratória, e o homem que não coaduna com a luta feminina, festejar a volta da Amélia!!

-Deviam antes perguntar ao meu marido se eu sou Amélia mesmo! Não quero nem ouvir a resposta dele! na luta aqui com a minha teimosia, minha vontade de mandar em tudo, minha busca de paciência pra respeitar a imperfeição do outro!!!! A Metáfora que fiz do homem no leme é um ideal pra mim... Dividir funções é o melhor para o equilíbrio do barco! Diferentes funções com igual responsabilidade! Nós podemos e devemos dirigir nossas vidas, conduzir nosso rumo, mas que seja de forma feminina, com respeito ao masculino... E isso é uma busca pra mim também!

-Neste contexto, outra coisa que me deixa a refletir é a questão dos papéis de cada gênero. Se antes eu achava que éramos iguais, homens e mulheres, em tudo e o tempo todo, anos de maternidade me mostraram que ter alguém “no leme” enquanto parimos, amamentamos e cuidamos das crias pequenas é importante sim. Nos dá segurança para fazer nosso trampo (de magnitude social e não reconhecido nem remunerado).E acho que isso não é machismo. É divisão de tarefas, numa sociedade em que é necessário pagar as contas. Olha Não estou defendendo aqui que tenhamos que catar a cueca do marido. Aliás, nem as cuecas e calcinhas das crianças. Porque são elas que devem cuidar dos seus pertences e não bagunçar o coreto.

-Acho que eu preciso melhorar nisso aí, Cris! Se deixar, meu lado mãezona estraga um pouco..Mas tô ligada! Coitado do meu maridinho.... coloquei esta frase da cueca querendo uma piada pra suavizar o texto.... me ferrei.. é de mal gosto mesmo! André não abusa de seu lugar de chefe de família! É um pouco bagunceiro, verdade,mas isso eu tb sou!

-Mariana, eu não acho que a mulher tem que parar de trabalhar. Mas diminuir o ritmo, se quiser realmente fazer o servição que é a educação dos filhos.

-Pois eu tb penso assim! Acho que o povo esquece, que escrever este livro me deu trabalho! Que estou escrevendo novela, e vários outros projetos... E ainda dizem que sou Amélia... Fiquei sem trabalhar enquanto as crianças eram muito pequenas e pensa bem, foram quatro barrigas praticamente seguidas. Assim que fiquei mais inteira e as crianças foram para a escola , senti necessidade de voltar a trabalhar, por mim e pela economia do lar!!! O que defendo no livro é que cada mulher deve se dedicar ao máximo a este rico processo que é a maternidade. Digo que cada uma de nós pode aumentar este "máximo" reconhecendo mais o valor da função de mãe. Nunca abri minha boca para dizer que mulheres que trabalham não são boas mães. Só perguntei: Vocês sabem o valor que tem a maternidade? Estão aproveitando? Mas algumas não aguentam nem ouvir este assunto! Por que será?

-Se essa diminuição de ritmo a torna não-competitiva para o mercado, então o problema está no mercado. O problema é social. Não individual. Vamos tirar a mãe da berlinda e colocar o nosso sistema de vida capitalista e desumano no centro da questão.

-Valeu amiga! É exatamente isso que está acontecendo! Eles estão jogando pedra no sistema e me escolheram pra ficar ocupar a berlinda! Eu procurei o assunto, é verdade! Mas estou em missão de paz!!!

-Conte comigo! Mulheres injuriadas que blasfemam contra Maria Mariana na internet, não vamos nos acusar nem julgar umas às outras, vamos nos concentrar no inimigo em comum. Quanto à cesariana e à amamentação, penso que Maria Mariana quis apenas ser emblemática e acabou metendo o pé na jaca.

-Sabe que isso pode ter acontecido, sim! Esse assunto me empolga muito e tenho um péssimo vicio de escritora, frases de efeito escorregam da minha boca. Junta isso, com um assunto polêmico e uma repórter doida par te colocar mal na foto... Dá no que deu! Olha Cris, foi um prazer te conhecer,..... Gostei do seu jeito respeitoso e inteligente de pensar....Até.
Obs- Se disse algumas frases de efeito, não são essas que circulam por aí. "amamentar é pra mãe que merece"- "consumo dá depressão pós-parto" -" Parir fez de mim melhor mãe!" e etc... são distorções da mídia! Vivendo e aprendendo!


93 comentários:

  1. Oi Mari! Eu também gostaria de conversar um pouquinho com você sobre este assunto! Se puder e quiser é claro! Trabalhei um bocado com a área maternidade, doulagem e humanização.
    Sinta-se a vontade para conhecer meus blogs:
    http://www.franpage.blogspot.com
    http://www.franpagedois.blogspot.com
    http://www.a-biblia.blogspot.com
    Beijokas
    Fran

    ResponderExcluir
  2. conversa boa a nossa, hein? adorei!

    aproveita para colocar o link do meu texto no seu para a mulherada dar um confere. e volte lá para ler um comentário novo antes do seu. acho que vai gostar.

    beijocas em ti e na criançada :)))

    ResponderExcluir
  3. ps: só não sei se é possível pedir para revisar a entrevista/matéria antes de ser publicada...

    ResponderExcluir
  4. Esta foi a única frase que coloquei na sua boca,né? Vou retificar...
    É possível sim. Eles não gostam, mas quando querem muito a entrevista deixam...

    ResponderExcluir
  5. Sim, não sei como colocar seu link na postagem! Estou chegando agora neste mundo virtual, sou muito perna de pau, até rimou!

    ResponderExcluir
  6. Nossa, é muito interessante participar, como leitor, desse diálogo esclarecedor. Um testemunho lindo para todos. Isso só valorisa mais a mulher. Valeu!!!
    Grande abraço. Manoel.

    ResponderExcluir
  7. Epa! Errei no valoriza. Mas me redimo por isso. Perdão.

    ResponderExcluir
  8. Oi Mariana,
    Tomo a liberdade de copiar aqui o comentário que fiz no blog da Cris. Afinal, são sobre suas ideias que estamos falando né... rsrsrs
    Beijos
    Amanda
    ********
    ********
    Ufa, até que enfim alguem sensato pra escrever sobre o pensamento de Mariana sem ofende-la mesmo que não tenha concordado em alguns pontos. Como eu mesma postei no blog dela, talvez por nao ser jornalista/escritora, não tenho o dom de transpor meus pensamentos em texto de forma tão clara. Quanto ao catar cueca, a Epoca quis polemizar. Acredito que o pensamento dela seja o da mulher não ser tão "machista" ou "feminista" demais. O catar cueca, pelo que eu entendi, não é se fazer de empregada (como a revista quis dizer) e sim as vezes "deixar de reclamar" e muitas veses brigar por causa de pequenas coisas e defeitos do outro (que podem melhorar com uma boa conversa), como apenas uma cueca não chão (as vezes né...), e como muitas vezes nosso marido pega a vassoura e o rodo para lavar o banheiro que esta sujo (o meu faz... rsrs) ou faz o jantar porque esta com fome e a mulher esta demorando no banho... É por aí que penso, casamento é isso, um ajudando o outro, deixando pra lá alguns defeitos, entendi isso na tal historia da "cueca"... Quanto ao homem no leme, não penso que seja só financeiramente, mas tbem concordo com isso. Homens são diferentes de mulheres e na verdade, nao é apenas homem/mulher, casamento é parceria, uma equipe, cada um colabora de um jeito, cada um tem seu papel, senão o negocio não anda. A mulher colabora com as ideias, tão freneticas, enroladas e cheia de emoções na nossa mente "espaguete" e o homem por sua vez, mais centrado e frio nas emoções, tenta definir o melhor de todas as ideias na sua mente "waflle", (não sei se já ouviram essa "teoria", é bem interessante...) É parceria, colaboração, mas acredito que o homem como a "cabeça" e a mulher como o "corpo", as coisas fluem bem (até porque o corpo mexe a cabeça pra onde quer né... rsrsrs)
    É isso, mais uma vez acho que não consegui me expressar direito por falta de talendo pra coisa mesmo, mas acho que deu pra entender minhas ideias...
    Beijos
    Deus te abençoe
    Amanda

    ResponderExcluir
  9. Olá, me chamo Marcela e tenho 27 anos. Sou mãe de um garotinho lindo que tem 8 meses, é o meu primeiro filho e tudo que mais quero é fazer dele um grande ser humano. Ainda não li seu livro mais pretendo, fiquei sabendo de vc pela revista época e achei muito linda sua atitude de querer dividir a maior dádiva que Deus consede a uma mulher com outras pessoas. Achei linda a forma como vc se referiu à seus filhos no seu blog, me emocionou. Gostaria de poder dividir experiencias com vc! Tchau.

    ResponderExcluir
  10. Oi Mariana, emprestei seu livro pra um amigo que tem uma lanchonete no centro da cidade, e ele me contou que deixou em cima do balcão e todo mundo que via pedia. O livro já está pasando na mão da grávidas da cidade. Infelizmente aqui não tem nenhuma livraria então só temos um mesmo! rs... Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Adorei esse post. Por favor, Cris, qual é o seu blog ?

    ResponderExcluir
  12. Olá Mariana,
    Conheci o blog da Cris ontem,e deixei meu comentário lá...
    Amei ter encontrado o seu e pode ter certeza,estarei sempre akí!
    Continuo com minha opinião,toda mulher tem a Amélia e a moderna dentro de si...
    e só as que conseguem desenvolver bem esses dois papéis é que conseguem dar uma educação com conteúdo e segurança para os seus filhos.
    Se a mulher não estiver bem consigo mesma,não vai adiantar ela estar o tempo integral dentro de casa, pois o resultado será o mesmo ou pior
    do que a que está fora e com tempo limitado.
    Vou encontrar um tempo pra ler seu livo e o da Cris tbm....
    Bju minha linda

    ResponderExcluir
  13. oi aída :) é só clicar aqui no meu nome que ele te leva até o meu blog :)

    maria mariana, poderia me enviar seu e-mail para o meu? gostaria de enviar meu livro infantil, "Por que Heloísa?", de presente para os seus filhos.

    a história dele é baseda nas experiências com uma das minhas filhas que tem uma deficiência motora chamada paralisia cerebral.

    é um livro bem colorido e lúdico que promove a inclusão.

    acho que os seus filhos vão gostar.

    fico aguardando seu contato, ok?

    beijos

    cris

    ps: no meu blog há um link, na lateral direita, que leva ao blog do livro. assim vc já tem uma idéia sobre ele.

    ResponderExcluir
  14. Olá, Maria Mariana, sou sua fãnzona ! Assisti sua peça Confissões de adolescente e tenho o livro também !

    Sempre me perguntei por onde você andava pois sempre acompanhei suas novelas. Queria saber por onde andam as suas outras amigas da peça ( da primeira montagem) pois só vejo a Ingrid Guimarães atuando.

    Que bom ver que agora tem um blog e que pode desmintir tudo que andaram distorcendo sobre você. Eu sabia que uma pessoa tão inteligente jamais falaria tais absurdos.

    Seus filhos são lindos e você continua maravilhosa ! Muitos beijos !

    ResponderExcluir
  15. Oi Mariana. Tenho 32 anos, balzaquiano, e um dos seus inúmeros fãs, encantado e apaixonado por vc e pelo seu lindo trabalho desde o início dos anos 90, com a peça "Confissões de Adolescente". Eu assisti a estréia [e outras vezes mais em outros lugares] no porão da casa de cultura Laura Alvim, ao lado de um não menos encantado Daniel Filho, que anos depois viria a dirigir a série de tv. tinha 16 anos, e parece que foi ontem. Acho que se vc voltasse a montar o espetáculo, dessa vez dirigindo, iria, com certeza, voltar a lotar teatros e casas de espetáculos, pela peça maravilhosa que é. ainda é. beijos e sucesso.

    ResponderExcluir
  16. Olá Mariana,
    Acabei de ler o seu livro (que devorei em 1 dia) e achei lindo o seu depoimento, sua atitude, sua coragem!
    Continue nesse caminho, acreditando em suas verdades e tendo a nobreza de compartilha-las mesmo enfrentando dificuldades e críticas, comuns aos que não entendem a beleza de sua história!
    Ainda não sou mãe, mas pretendo ser em breve. No ano passado perdi minha primeira gravidez e foi uma dor muito grande para mim, mas ao mesmo tempo me deu uma força enorme e uma vontade maior ainda de realizar esse desejo.
    Tenha certeza que a sua experiência, que serviu de inspiração para mim, também inspirou e inspira diversas outras mulheres.
    Obrigada pelo livro! Obrigada por dividir com a gente seus pensamentos!
    Beijos e sorte sempre!

    ResponderExcluir
  17. Me identifico contigo, mana da união, né?
    tailinsb@gmail.com

    ResponderExcluir
  18. Oi, Mariana! Tenho 13 anos, e acabei de lever o seu livro "Confissões de adolescente". Adorei! :) Muitas "confissões" do livro ainda não aconteceram comigo, mas outras aconteceram com a minha mãe, que a assistia desde grávida. Queria muito poder assistir a peça de perto, mas não é muito possivel... Parabéns pelo blog també, que também fala sobre várias coisas que ainda não vivenciei mas sei que vão acontcer! Só isso... Beijão!

    ResponderExcluir
  19. Parabéns pelo seu trabalho.Estou me referindo a todo trabalho mesmo,desde escritora,atriz,mãe,dona de casa(não necessariamente nesta ordem)...são tantas as facetas,todas elas de relevante importância.
    Acabei de ler que foi usada a expressão "catar cueca" pela revista Época numa reportagem sobre você.Não li a matéria;fiquei sabendo pelos posts que essa expressão foi colocada de forma grosseira;também fiquei sabendo a polêmica que o seu atual livro vem causando e resolvi palpitar aqui.
    Sou mãe da Luiza de 2anos e 4meses e optei por não terceirizar a criação da minha filha,portanto estou trabalhando em casa desde seu nascimento,"catando cuecas" como a revista Época classifica,ou sendo "Amélia" como alguns denominam.
    No início eu me aborrecia mais com os comentários,que são sempre desvalorizando quem cuida dos filhos e do lar,mas agora já criei imunidade a isso.Encontrei mais mulheres como eu aqui na internet,isso me deixou mais segura da minha escolha e com a auto-estima elevada(apesar de ouvir com frequência comentários me desvalorizando).
    O mercado de trabalho é muito competitivo;não dá para ser a melhor profissional e ser mãe ao mesmo tempo;isso é impossível.
    É o que eu chamo de "mãe de final de semana",uma novidade dos tempos modernos.
    A mãe de final de semana,pra começo de conversa,não quer sentir dor,então parto normal,nem pensar!Algumas ainda falam "eu não pude ter parto normal" pra justificar o injustificável,pois se você perguntar o porquê,elas respondem alguma bobagem do tipo "minha bolsa estourou".
    A mãe de final de semana começa dar suquinhos ao bebê com 3 meses de idade e papinha aos 4 meses.
    Ela é aquele tipo de mãe que conta vantagens sobre o que o filho dela fez antes que o da outra:"o meu filho andou com tantos meses","meu filho falou com tantos meses","meu filho desfraldou com tantos anos"...como se estivessem numa competição.
    É do tipo que dá muitos presentes para o bebê,afinal,ela trabalha para dar o melhor para o filho(e na cabeça delas o melhor é $$$);no caso da minha vizinha,é presente dia sim,dia não(hã?).
    Eu,com curso superior,em casa cuidando de filho e da casa devo ser uma coitada mesmo(é isso que 99,9%das pessoas pensam).
    Tadinha de mim,"Amélia" que "cata cuecas".Minha bebê apenas tomou meu leite até os 6 meses de idade e seguimos com a amamentação até ela parar;não tenho hora pra acordar,então naqueles dias chuvosos de inverno dormimos juntas,eu e Luiza,até 10 ou 11 da manhã;vi o primeiro sorriso dela;ajudei ela sentar;engatinhar;ouvi a primeira palavra-adivinha qual?"mamãe",claro;estava junto nos primeiros passos;ensinei e ensino cores,formas,nomes...
    Eu sei o que me filha come,eu faço a nossa comida e ela me ajuda com a louça,ultimamente,me alcança uma por uma e vai narrando tudo,kkkk...e o que demoraria 15minutos se eu estivesse só,acaba levando 2horas com minha ajudante.
    Sou mãe,integralmente,além de administradora da casa.Esse trabalho é não remunerado,não reconhecido e desmerecido,mas eu amo muito isso.
    Não existe dinheiro no mundo que pague tudo isso.
    Estou esperando a Luiza largar as fraldas para colocá-la na escolinha meio turno;isso deverá ocorrer,provavelmente,em meados de Janeiro ou Fevereiro.
    Agora ela está cada vez se interessando mais em brincar com outras crianças,está no tempo dela começar a ter a vida dela,um tempo no qual eu não esteja por perto.
    E eu,estou feliz por isso,por ela,por essa nova fase que está começando na vidinha dela.
    Também estou planejando retornar ao mercado de trabalho,mas meio turno apenas(até Luiza ter uns 6 anos),pra continuar sendo mãe,integralmente,e não me transformar em "mãe de final de semana".

    Tenho certeza que os assuntos "parto normal" e "amamentação" não foram colocados de forma agressiva no teu livro;o problema é que esses dois assuntos,especificamente,são delicados e muitas mulheres ficam na defensiva para justificar suas escolhas.

    Admiro muito a tua trajetória.Parabéns pela linda família.
    Essa foto de vocês está show.

    ResponderExcluir
  20. Minha prima, acabei de ler seu livro, AMEI!!!Conhecendo a SAGA da família, vivendo a MINHA MATERNIDADE como base da minha existência até hoje, mesmo com eles já em idade avançada, pois Pedro Arthur está com 20 anos e João Vithor com 14 anos, todas as suas Confissões são plenas e fazem a divina palavra MÃE ser uma experiência única nas nossas vidas.
    Queria MUITO ter aberto mão de minha vida para duplicar com a vida deles, queria MUITO ter vivido mais pertinho deles, mas precisei dividir-me para multiplicar nossas vidas e hoje, sei que VIVO com eles e para eles, sem nunca ter perdido a minha porção mágica de mulher,porém prefiro meu lado divino de mãe, ele é eterno, sublime e renovável a cada beijo da manhã.
    Prima, veja meu site, meus textos são para eles, minhas palavras são calibradas por eles e vivo a minha maternidade todos os dias sem medo de ser MÃE.

    www.biaoliveira.com

    Te adoro, Parabéns, beijos Bia

    ResponderExcluir
  21. Querida MARI, que saudades... quem lhe escreve é Moema(Márcia), estudamos muitos anos juntas no Anglo,lembra? Vou lhe enviar meu e-mail para nos falarmos marcia.momesso@gmail.com! Parabéns pela linda jornada de vida! Grande beijo!!

    ResponderExcluir
  22. Michele Alexandra disse...
    Olá Mariana td bem com vc?
    eu espero que sim..
    Primeiramente gostei muito do seu trabalho, e sou fã da época do seriado Confissões de Adolescentes, gostaria de escrever tudo em seu blog, mais prefiro mandar em algum email, o que quero te falar, tbm sou escritora e publiquei meu primeiro livro aos 17 anos entitulado Furacões de Mel Delinquentes ou Adolescentes, por favor da uma olhadinha no meu blog, se possivel me mande alguma resposta no meu email michelealexandra_4@hotmail.com obrigado..
    Bjos
    Sucesso!!
    http://alexandralivrosepoemas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  23. Olá Mariana fiquei muito feliz de encontrar seu blog.Ainda não li seu livro novo, mas espero muito em breve comprar um.Sou mãe de 2 filhos, e concordo com você que o parto normal é uma experiência única, poderia dizer até espiritual.Acho mesmo que o parto normal nos prepara, nós mulheres, não só para o relacionamento mãe e filhos, mas para todos os tipos de relacionamentos;é como se nós mesmas fossemos moldadas durante o trabalho de parto, então quando damos à luz, um novo ser nasce junto com a criança.Beijos e que Deus te abençoe!!!

    ResponderExcluir
  24. Olá Maria Mariana

    Assisti Confissões de Adolescente, assisto todos os dias "Um Menino Muito Maluquinho" e morro de vontade de ser mãe. Sempre vi em você uma doce pessoa e mal sabia disso tudo, dessa história, desses filhotes lindos, que ótimo, gosto ainda mais de você agora, muito bom saber que alguém que agente adimira teve um futuro, um futuro bom saudável e admirável. Ainda não li o livro mas vou comprar o mais rápido o possível.PARABÉNS e siga em frente pois cada um tem seu dom sua vocação e não é ruim esse confronto, só temos que respeitar todas as formas de viver, sou totalmente a favor das suas escolhas, posso compreender essa vontade de ser uma mãe dedicada, mesmo porque você nunca deixou de existir e nem de viver, ao contrário ficou inteira, com certeza toda experiencia materna bem vivida deixa a mulher com consciencia do seu corpo, do seu espirito, responsabilidades e limites .. enfim siga em frente te adoro, parabéns!

    ResponderExcluir
  25. Oi mariana, não sou mãe, por enquanto me encontro apenas no papel de filha ( mais pra neta e sobrinha que pra filha, mas mãe é quem cuda né?.
    Vim aqui apenas pra expressar minha imensa admiração por vc que conheço a um tempinho, já lí muitas coisas suas, e, olha que coicidência, ontem mesmo ví seu livro em uma livraria, mas seu pai(outro que admiro muito) me fez (indiretamente) levar um livro de psicologia "sobre a morte e o morrer" ai eu na minha pobre condição de menor de idade sem independância fiquei impedida de levar o seu dessa vez, mas saiba que ele já entrou pra minha lista.
    Vasculhando os blogs da vida fiquei muito feliz de ter encontrado o seu e poder ler mais de suas preciosidades, você é uma das minhas referências, espero um dia escrever tão bem quanto você.
    ps: eu tenho 15 anos e não perco um episódio do Menino maluquinho só por vc e pela Clarice Niskier

    se quiser ler algumas das minhas tentativas de textos sinta-se convidada a visitar http://www.thepartyoftulips.blogspot.com/

    Beijos!

    ResponderExcluir
  26. Olá, MMariana... Conheci-a em sua peça há muitos anos, num teatro pequenino (não me lembro o nome), com Guimarães, Machado e Duarte, se não me engano. O tempo passou e agora que tive meu primeiro bebê, a reencontrei de manhã, na hora da mamada, no Menino maluquinho... depois a vi na Leda Nagle falando do seu livro. Ele chegou hoje e já li a metade. Inácio tem 3 meses de vida aqui. Por aí você deve imaginar como têm sido meus dias... Percebi no livro que tem vivido uma espiritualidade. Pode falar um pouco sobre isto? Acho que é um assunto importante para as mães. Um abraço, Daniela.

    ResponderExcluir
  27. Oi! Não sou mãe ainda e nem adolescente, mas adoro suas histórias. Estava procurando a trilha sonora de confissões de adolescente em MP3 e achei seu blog. Adorei!Vou passar mais vezes. Se souber onde posso encontrar me avisa. Bjux

    ResponderExcluir
  28. Olá,
    Eu adoro vc!!!
    Nem tenho filhos ainda, nao planejo, mas quero ler o livro!!!
    viva a discórdia! =)
    Assisto Confissões desde sempre e agradeço a vc por ter dado esse presente às(aos) jovens brasileiras(os).
    Beijos nos anjinhos...
    Laís - Campinas, SP.

    ResponderExcluir
  29. Oi! Semana passada eu publiquei no meu blog um post sobre o Confissões de adolescente sem nem saber q vc estava lançando o Confissões de mãe! Achei o máximo qdo vi hoje, mas me assustei com as declarações... Ainda bem q achei esse blog pra ver q não foi bem assim. Principalmente pq vc sempre foi tão sensata, é lógico pra mim q houve alguma distorção nessa entrevista. Bom, eu fui muito sua fã... Hoje sou mãe de 4 filhos, mal consegui começar minha vida profissional como advogada e já estou pensando em deixar td de lado só pra cuidar deles, enfim estou quase convencida de q ser rebelde hoje em dia, é viver intensamente a maternidade, afinal a família está em extinção e nada mais honroso pra mulher voltar a assumir suas responsabilidades com a estrutura familiar.
    Estou aliviada com os seus esclarecimentos e posso continuar dizendo q mais do que nunca, sou sua fã. Vou comprar seu livro e espero um dia ter o prazer de ter seu autógrafo nele...
    Grande beijo, Deus abençoe vc e sua linda família!

    ResponderExcluir
  30. Eu cheguei ao teu blog por indicação de uma amiga, quando comentei que tinha me parecido muito estranha a tua colocação sobre ser mãe e amamentação na entrevista. Pensei que fosse uma materia mal editada ou manipulada, e agora sim, tirei a má impressão que tinha, e vou procurar pelo teu livro.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  31. Bom dia Maria!!
    Não serei mãe na proposta: gerar e parir, mas aos domingos sou mãe "postiça" de duas enteadas e as adoro... conforme a polêmica chegou ao meu grupo (praticamente feminino) senti que essa frase não seria possível, só quem tem amor maternal sabe que não precisa gerar não é mesmo?
    Amor maternal já nasce com as mulheres, slgumas se deixam levar e acham que serão menos profissionais e mais alguns traumas que nem vou por no papel, pois sou uma delas... risos...
    Mas de qualquer forma, seu texto foi muito bem-vindo, mesmo com a manipulação da imprensa... na verdade as mulheres precisam da sacudidela... o que se ganhou com a famosa igualdade foi imensas responsabilidades...
    Um abraço e se quiser nos conhecer, faça uma visita ao Grupo... lá tem assunto de tudo quanto é tipo...
    http://br.groups.yahoo.com/group/flybabiesnoBrasil/
    Um abraço e continue a bandeira... eu ajudo a carregar...
    Beijos
    Roseli de Araujo Gomes
    Ribeirão Preto/SP

    ResponderExcluir
  32. Estou passando por aqui depois de um bom tempo, e fico feliz vendo tantos elogios, tnatas pessoas se identificando. Penso que a idéia da Maria Mariana é essa mesmo. Que sejamos todos felizes. Sem ofender quem tem uma história diferente, mas contar a sua. E acho bonita sua generosidade em compartilhar uma história tão íntima e bela. Parabéns. Passei por aqui porque sonhei com vc esses dias. Estranho né! rs... Hoje veio uma grávida aqui em casa me devolver o seu livro que estava emprestado. Eu gosto da parte que fala de parto. rs... Sou uma amante de partos...rs... Beijos! Fica com Deus e aparece por aqui...

    ResponderExcluir
  33. Gostaria de acrescentar que o que é único nesse momento é a escolha, e a possibilidade de brigarmos par ampliar as escolhas. As pessoas são diferentes, têm perfis, realidade, desejos, e piques diferentes, além de isso tudo também ser mutável no tempo. Que bom que podemos parir ou não, trabalhar ou não, part-time, full-time, defender nossas posições, escrever sobre elas. Milhares de mulheres existindo em milhares de formas. O meu prazer de ser mãe também está na possibilidade de buscar ser, de inventar ser, de brigar pra ser, de discutir e trocar em como ser mãe, mulher, profissional. Beijo em todas !

    ResponderExcluir
  34. Mariana, por que vc abandonou o blog?
    Entro aqui todos os dias para procurar um novo assunto.
    Vamos falar mais de maternidade!!!!
    Beijos
    Deus te abençoe
    Amanda

    ResponderExcluir
  35. Oi, Mari, tudo bem?
    Era fã do Confissões de Adolescente e fiquei muito feliz ao saber que agora temos um Confissões de Mãe. Também sou mãe de 4, Ana Luís, João e Isabel, tive os quatro estudando e trabalhando fora e não me arrependo de nada. Não li o seu livro, mas vou comprar, certamente. Uma amiga me disse que tinha umas idéias estranhas pro mundo de hoje, mas enquanto mãe acredito que todas conseguimos encontrar um jeito de, mesmo longe, sermos presentes em tempo integral. Amei a definição dos seus filhos, e fico muito feliz em v~e-la linda, jovem, produzindo e reproduzindo, rssssss...... Afinal acabamos levando a lei do 'crescei e multiplicai' ao pé da letra, não?
    Beijo afetuoso e fique toda a família com Deus.
    *=)
    Jacqueline Assunção

    ResponderExcluir
  36. Olá, Mariana!

    Fiquei surpreso, no bom sentido, ao tomar conhecimento dessa sua nova postura... Sempre tive simpatia pelo seu trabalho, mesmo não concordando com uma coisa ou outra de "Confissões de Adolescente"... Sempre vi que era algo feito com carinho, com sinceridade de coração. Outro trabalho q adoro é a série "Menino maluquinho", vc parecia realmente a própria mãe do garoto.. um programa lindo!

    Agora vejo, estupefato, uma mulher que foi sinônimo de rebeldia defender ferrenhamente a maternidade, com declarações fortes sobre o sentido de ser mãe para a realização de uma mulher. Vindo de alguém que não teve nada de conservador ou mesmo religioso em sua criação, me faz pensar.. nunca saberei o q é isso, por ser homem. Mas constato o quão artifical são essas bandeiras do feminismo atual.. saudade de quando "direitos das mulheres" era realmente lutar contra o preconceito!

    Se me permite o papo (e seu blog convida a essa intimidade.. rs), gostaria de adentrar um assunto de igual importância, q vc pincelou numa entrevista... Sobre o aborto.

    Sei que é um assunto delicado, não sei se fala sobre ele em seu livro mas creio q vc tem cara de procurar sempre posições bem embasadas pra tudo.. e é um assunto pelo qual me interesso, por isso gostaria de trocar mais figurinhas sobre isso. Se puder, dê uma olhada nessa sessão do site que mantenho com alguns amigos:

    http://vivopelavida.com.br/aborto-faq/

    (Aproveita e dá uma olhada nas outras sessões, fazemos com bastante carinho.. rsrs..

    Grande beijo. E muito, muito sucesso nessa sua linda carreira de mãe!!!

    ResponderExcluir
  37. Querido(a) novo(a) amigo(a),estou precisando muito da ajuda de todos os amigos. estou montando uma minibiblioteca comunitária pra crianças e adolescentes na minha comunidade carente aqui no Rio de Janeiro,se voce puder me ajudar estou fazendo uma campanha de doações. pode doar qualquer quantia no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3, ou pode doar livros ,ou pode doar máquina de costura, ou pode doar retalhos, ou pode doar computador usado. se quizer fazer aguma doação entre em contato com meu email: asilvareis10@gmail.com ,eu darei o endereço de remessa. se voce não puder me ajudar com doações pode divulgar minha campanha, tenho 2 blogs no google gostaria da sua visita: Eulucinha.blogspot.com ,obrigado pela sua atenção.

    ResponderExcluir
  38. Te admiro muito pela coragem e pela força, quatro não deve ser moleza. Tenho dois e há momentos em que me sinto incapaz de controlar, pois as idades tem muita diferença a mais velha tem 12 e o caçula 5. Diferenças de pensamentos, gostos de interesses, já viu né... brigas a todo instante. Agora está até mais calmo, há alguns momentos em que podemos nos divertir juntos.
    Amanhâ vou a Bienal com a família e vou comprar teu livro.
    Teus filhos são lindos e você também.
    Me chamo claudia e tenho 37 anos.

    ResponderExcluir
  39. Oi Mariana, meu nome é Samantha 28 anos. Sou uma leitora fervoroza do assunto mãe em geral. Lí seu livro com muito entusiasmo e me emocionei várias vezes começando pelo relato dos seus partos. Durante a leitura, suas dicas foram valiosíssimas e seus pensamentos de evolução através da maternidade me deixaram realmente feliz. O final, ah sim... este me deixou um pouco decepcionada. Ainda não sou mãe, mais creio que o modo como vc expoe sua idéia de que mães que não tem o seu tempo integral para o filho pelo ou menos nos primeiros anos de vida não são boas mães, acredite me expantou d+ mesmo. Gostaria de salientar que no meu ponto de vista as mulheres não necessitam simplesmente abandonar suas carreiras profissionais para exercerem a maternidade. Conheço muitas mães e dentre elas o grupo que trabalha fora é o maior e cresce a cada dia. Dentre as que trabalham fora, posso dizer que são verdadeiras heroínas, pois educam seus filhos, da casa e do esposo de maneira sem igual. Como uma futura mãe que trabalha e ainda tem muitos ideais profissionais pediria que vc não rotulasse esse grupo como mães ruins. Tenho certeza que querer fazer o melhor e não abdicar de sonhos, ainda que estes sejam menos importantes do que a maternidade, não seja um pecado mortal. Vc não acha? Visite o meu blog sorrindoemparafuso.blogspot.com ficarei feliz com um comentário seu. Até

    ResponderExcluir
  40. Maria Maria:
    fui sua fã durante o Confissões de Adolescente. Mas parece que vc agora surtou, pirou!! Que apologia é essa ao parto natural??
    Quem disse que pra ser mãe é preciso sentir dor. PARA!! Tive minha filha de cesária(POR ESCOLHA) e não me acho menos mãe por isso, nem que ela não me ame! por favor, apologia ao parto natural no ano de 2009, quase 2010 é o mesmo que disser que o Cancer não tem cura e é sentença de morte! A medicina está aí pra nos ajudar. O parto cesariano é fantastico, controlado, monitorado...dor a gente tem um monte na vida que é inevitável, mas essa eu não faço a mínima questão de sentir e não sou menos mãe por isso!!!!

    ResponderExcluir
  41. Oi Maria Mariana, me chamo Patricia, tenho 27 anos e cheguei aqui exatamente por causa dessa polêmica toda em relação às frases supostamente ditas por vc. De certa forma, mesmo que vc as tenha dito, consigo entender oq essas frases querem dizer. Acho que elas generalizam um pouco, mas é exatamente isso que o feminismo faz: generaliza as atitudes que a sociedade espera da mulher. A mulher hoje em dia não tem o DIREITO de escolher se quer seguir uma carreira ou simplesmente ser mãe, como se existisse isso de "simplesmente" ser mãe. Pra mim, o feminismo é o movimento mais machista que já se viu, uma vez que as mulheres foram sobrecarregadas e assumiram papéis que até então os homens desempenhavam, porém sem deixar de desempenhar seus próprios papéis. Por outro lado, poucos são os homens que dividem com suas mulheres os trabalhos que em outras épocas eram exclusivamente femininos, como os afazeres domésticos. Ou seja, só nos sobrecarregamos e ainda temos que fazer tudo isso com cara de que estamos de acordo. Já tive sérias discussões por conta disso com uma pessoa que veio me dizer que mesmo se tivesse uma condição financeira que permitisse deixar o trabalho de lado, não o faria por achar o trabalho uma terapia!!! Até parece, se ganhasse um dinheirinho arrumava logo uma terapia melhor pela Europa e não ia querer saber de trabalhar. Mas assume esse discurso simplesmente pra justificar uma obrigação, fazendo com que ganhe ares de diversão. Sem falar que dependendo do salário dessa mulher ele é destinado quase que integralmente pra pagar babás, escola e outros gastos que se fazem necessários justamente por conta da ausência dessa mãe.
    continua...

    ResponderExcluir
  42. continunado...
    Tenho duas faculdades, pós-graduação, e nem por isso defendo a minha carreira como se fosse algo fundamental. Acho que essa inserção das mulheres no mercado de trabalho é muito positiva por nos dar independência, mas a partir do momento que uma mulher que decide ser mãe em tempo integral passa a ser criticada, eu não vejo mais esse direito como algo positivo. Passa a ser um dever, todas temos que trabalhar, cuidar da casa, dos filhos, dos maridos e as que fogem desse padrão são vistas como preguiçosas e acomodadas. Como se cuidar de casa e filhos fosse algo fácil.
    É muito triste ver que hoje em dia a criação dos filhos foi terceirizada em nome do feminismo. Isso cria uma geração de crianças sem valores, sem noções de certo ou errado. É fato que nenhuma escola consegue transmitir para os alunos os valores familiares, valores esses que sempre foram passados em casa, nas atividades diárias da família e que hj em dia não mais existem. Acredito inclusive que essa maneira de criar os filhos, em escolas ou com babás foi fator primordial pra que a sociedade tenha chegado ao ponto que chegou. Ninguém respeita ninguém e pronto. Desculpe pelo tamanho do texto, mas teria muito mais pra escrever sobre esses assuntos que deveriam ser muito mais discutidos. Quero te dar os parabéns por ter a coragem de entrar nesse debate sem medo de ser criticada por estar assumindo sua posição como mãe, colocando os seus filhos em primeiro lugar. Sim, pq hj em dia pra muitas mulheres é vergonha assumir que largariam o trabalho pelos filhos. Honestamente acho que essas mulheres deveriam optar por não ter filhos, assim os pouparia de passar por diversas situações desconfortáveis que muitas vezes beiram a sensação de abandono, de não atender às espectativas dos pais e se sentirem rejeitados. Não me posiciono contra as mulheres que tem babás, empregadas, creches e outras facilidades. Acho sim que essas facilidades existem para que possamos aproveitar e ter momentos de tranqüilidade, afinal uma mulher tem direito de ter seu tempo depois de se tornar mãe. Só acho que transferir totalmente a responsabilidade da criação dos filhos para terceiros não é a melhor maneira de formar um cidadão.
    Com relação ao parto natural, concordo que hj em dia as mulheres tem filho como quem faz a unha. Faz uma escova no cabelo antes de ir pro hospital, arruma um espaço na agenda, marca a cesária de maneira que não atrapalhe seus compromissos e pronto. Claro que existem casos específicos em que a cesária é uma necessidade, mas nos demais casos acho que é um absurdo! Como se cesária fosse moderno e o parto normal coisa de índios! Impressionante como no ano de 2009, quase 2010 as pessoas ainda não tenham informações suficientes em relação aos benefícios do parto normal. Se tem, são egoístas demais pra optar por ele, afinal tem medo de sentir dor. No meio desse egoísmo estão as mulheres que se espantam por catar uma cueca do chão, como se isso as fizesse inferiores. Concordo que os homens são sim diferentes das mulheres e é exatamente ao negar isso que acabamos vivendo em crise nos relacionamentos, por esperar que o outro seja igual e não aceitar as diferenças que são claras.
    Espero que eu tenha me feito entender. Beijão e continue sempre defendendo seu ponto de vista.
    PS: Adorei esse comentário: “enfim estou quase convencida de q ser rebelde hoje em dia, é viver intensamente a maternidade” feito pela Ana Karina. Ela resumiu muito bem!

    ResponderExcluir
  43. Faria tudo novamente, para ser mae, passaria pelos enjoos, pelas vontades, pelas dores na coluna, o pela falta de ar e ate pela dor que senti na hora em que eles nasceram,(foi parto super normal hehehe), so para sentir a emoçao unica de te-los. Tenho um orgulho imenso desta 2 maravilhas da natureza que deus mandou para que eu os guiasse con firmeza mas ao mesmo tempo com a delicadeza de quem cuida de uma flor rara. Amo os meu filhos, e nao me arrependo do que deixei para tras, hoje sei que valeu muito a pena, e como valeu, pude acompanhar tudo desde o inicio e eles me ensinaram tambem, a ter mais paciencia, a ter a maturidade que sempre buscamos para uma vida mais equilibrada possivel mas feliz, obvio. Espero poder falar muito mais, nao sao todas as mulheres que gostam de um papo sobre o que é ser mae e e fazer essa escolha sem se arrepender. Gostaria muito de falar disso contigo, é claro qdo puder.

    Abraços

    Ana Paula

    ResponderExcluir
  44. Olá , sou Andréa Toledo e me interessei bastante por esse assunto.... Sou casada mãe de 8 filhos, tenho 34 anos... não tive ainda a oportunidade de de ler nenhum livro da Maria Mariana, mas li hoje no Estado de São Paulo uma entrevista com a autora do livro. Gostei muito do que li e fico muito feliz de saber que, nesse mundo meio de cabeça para baixo, existem pessoas sensatas com a maternidade...
    Andréa Toledo

    ResponderExcluir
  45. Olá ! Admiro muito seu trabalho ! Sempre admirei ! Sua família é linda ! Continue sempre assim, transmitindo essa mensagem linda ! Que Deus continue abençoando vc e sua família....e lhe dando inspiração para continuar nos agraciando com pensamentos tão significativos ! Abraços. Giselle Peres

    ResponderExcluir
  46. Milena - fgamilena@hotmail.com5 de novembro de 2009 18:54

    Essa entrevista rendeu, hein, Mariana??? Sou do seu time. Mãe, esposa, dona de casa e fonoaudióloga tbém. Foi uma luta conseguir por as coisas me ordem e no lugar. É tanta pressão pra não deixarmos de "trabalhar" (mal sabem os críticos, que o trabalho é muitíssimo maior!!!). É quase que uma sensação de derrota, do tipo: sou incompetente, não consegui conciliar. I give up! E então quando a gente pega no leme da propria vida e coloca as coisas nos seus devidos lugares... Ahhhhhh... Que sensação de alívio!! Que coisa boaaaaa!!! Delícia acordar os filhotes pela manhã. Dar banho, por pra escovar os dentes, fazer as tarefas, BRINCAR juntos...Delícia receber meu maridinho, feliz de me ver feliz em casa. Ganhar um abraço e um beijo gostoso... Feliz de conseguir botar a casa nos trilhos, ver que realmente não era normal numa casa com 02 adultos e 02 crianças se usar quase 10 Kg de sabão em pó num mês (olha que a economia que fazemos com essas coisas não é pequena não. KKKK). Feliz em acordar - e não pular - da cama pela manhã. Acarinhar meus pequenos, tirá-los da frente da TV (ainda que em alguns momentos ela seja uma "super-amiga"), dizer a eles que eles valem mais, muito mais. E o mercado captalista?? Ahhh... Deixa ele pra lá. Depois que as crianças crescerem a gente volta e arrasa!KKKK! OU não. Não importa. O que importa é que achamos um lugar lindo. Todas podem entrar, mas ele continua sendo único pra cada uma de nós: o PLANETA MÃE. E parafraseando nosso poeta Vínícius: "A mulherada que me desculpe, mas ser mãe é fundamental!". Força e coragem vc já tem. Só queria que vc soubesse que tem mais gente com vc nesse barco! Abraço!! Milena

    ResponderExcluir
  47. Maria Mariana...
    Gostaria de dizer a você que estou lendo seu livro. E me encontrei várias vezes nos diálogos imaginários com suas meninas. Gostei muito de sua forma sincera e expontânea de expressar questões tão intensas e importantes.
    Quanto às entrevistas, não as li. Acredito que elas fogem imensamente do foco do livro.
    Um grande abraço,
    Dani (mãe do Kiyo)

    ResponderExcluir
  48. Mariana, volte a postar em seu blog.
    Visito aqui quase todos os dias pra ver se vc resolveu voltar a postar...
    meu email: amandaviola@hotmail.com
    Beijos
    Deus te abençoe
    Amanda

    ResponderExcluir
  49. Maria Mariana! Em 1994 mudei do Interior para a cidade de São Paulo. A mudança foi grande em todos os aspectos. Tinha pouca grana, mas me virava para aproveitar o que a cidade oferecia. Entre tudo o que acontecia, eu me divertia muiiiiiiiiiiiiiito assistindo "Confissões de Adolescente".
    Para mim, foi a mais bem sacada série da TV brasileira. A paradinha na cena para os comentários das meninas, traduzindo o que pensavam sobre algumas situações, acabou sendo imitada por outros canais e outros diretores. Mas o elenco daquela série nunca se comparou em outros programas.
    Nunca li seu livro. Desculpe a honestidade. É que não tive grana pra comprar naquela época. Não arrumei emprestado. E agora, já me sinto muito adulta e tenho lido coisas bem diferentes.
    Não veja aqui um desrespeito com sua obra. Acho que ela será sempre um ícone para aqueles que estão se tornando adolescentes.
    Não sabia o que tinha acontecido com você,até encontrar este blog. Espero que ainda o leia, e que encontre minha mensagem.
    Parabéns pelos filhos. São lindos!
    Tudo de bom pra você e pra eles. E obrigada por ter animado tanto minhas tardes, durante a série "Confissões de Adolescente".
    Regina Gaeta

    ResponderExcluir
  50. Alguém comentou: "não tenho hora para acordar. Então, naqueles dias chuvosos, de inverno, dormimos juntas, eu e Luiza, até 10 ou 11 da manhã". Inacreditàvel a cara de pau dessas pessoas.

    Eu sinceramente não sei o que me assusta mais. Se são essas confissões preconceituosas, simplistas, irresponsàveis, reducionistas, machistas e elitistas da Maria Mariana ou o fato de aparecer tanta gente pra aplaudir. Sim, jà que mesmo que fossem apenas duas pessoas aplaudindo, jà seria muito. Acho que o segundo é mais assustador.

    Paula

    ResponderExcluir
  51. Oi, Mariana!
    Quando adolescente, curti muito seu trabalho no livro, na peça e no seriado "Confissões de Adolescente", além da sua coluna na revista Capricho.
    Hoje, aos 31 anos, curto seu trabalho em "Um menino muito maluquinho", junto com meus filhos.
    Me interessei muito pelo seu livro, que pretendo adquirir em breve. Até lá, vou acompanhando suas idéias aqui o blog.
    Parabéns pelos lindos filhos e sucesso na carreira!

    ResponderExcluir
  52. Maria,

    Foi enorme a surpresa e a emocao de saber desse seu "10 anos depois". Sou um grande fan seu e do seu trabalho, desde a epoca de confissoes na tv cultura que confesso, pela minha pouca idade nao entendia muito, mas me divertia a valer. Tive a oportunidade de ver a peca aqui no Rio, no SESC Tijuca e lembro ate hoje com muito carinho. Fico muito feliz de ver que voce agora tem 4 pequenos anjos na sua vida. Que especial! Obrigado por confissoes, por marcar uma epoca tao especial pra mim e muitos outros e sucesso nessa nova jornada!

    Um grande beijo com carinho,

    Rafael Carvalheira

    ResponderExcluir
  53. Maria Mariana, tenho vinte anos e sou sua fã, me lembro de quando era mais nova e via confissões na multishow. Eu ficava hipnotizada pensando em como era possível assistir em um programa tudo que eu vivia.
    Nos últimos dias descobri pela internet que você havia lançado um livro sobre maternidade, e li também as venenosas críticas ao seu livro.
    Resolvi então escrever no seu blog para dizer que eu te acho uma pessoa talentosa e de muita personalidade, que em todas as épocas da sua vida você foi verdadeira e leal consigo mesma.
    Achei incrível você estar agora feliz e realizada sendo mãe de quatro filhos e muito bem casada, isso só mostra mais uma vez sua transparência.
    Apesar de ainda ser muito nova para pensar em maternidade, gostaria de acrescentar que todas as entrevistas, textos e programas na tv que assisto e você está são bastante inspiradoras, não só pela excelente atriz, mas também pela excelente pessoa.
    Você é a prova viva de que é possível ter uma juventude liberal e uma vida adulta saudável.

    ResponderExcluir
  54. Maria Mariana, feliz 2010! que vc alcance o mesmo sucesso de Confissões de Adolescentes, que tanto nos fez sorrir!
    Cheguei ao seu blog pq não me conformei em ler as entrevistas...imprensa é tão injusta, relatam como entendem (talvez essa jornalista seja extremamente feminista...rsrsrs) Mesmo os comentários maldosos sobre pessoas que não admiro, não carecem de minha total crença...sempre desconfio que aproveitam uma frase e a colocam da melhor forma de vender a reportagem...
    Enfim, vc é ótima! volte a nos brindar com seus comentários nesse blog! bj grande

    ResponderExcluir
  55. Terminei de ler o livro quase que no mesmo instante que comecei. E nao vi em parte alguma dele as tais frases polemicas, nem nenhuma apologia a nada. O que eu vi foi uma mae aconselhando sua filha. O que vi foi o seu amor e dedicacao pela maternidade como vc ve melhor. Concordo com muitas das suas colocacoes e respeito o seu direito de expressa-las da forma que for melhor pra vc.
    Meus parabens pela coragem... soh uma coisa, na contra-capa tem um erro... diz que vc teve 3 cesareas e 1 normal, acho que foi o contrario, certo?
    beijo
    Dani do Kiyo

    ResponderExcluir
  56. O mais legal é você justificando todas as críticas dizendo 'comprem o livro', 'leiam o livro', 'o meu livro...'.... Ora, ora, ora, então o assunto não são suas declarações, preconceitos e ignorâncias, a questão toda é mercadológica, assim como sua explicação pela preferência nacional pela cesária. Que coisa não. A propósito, há alguns anos, na escola, me obrigaram a ler seu outro livro, o que só me faz ter certeza que não quero embarcar novamente numa "literatura" tão ruim! Infelizmente vc não tem nada do talento e visão crítica dos seus pais. Lamento, cinderela.

    ResponderExcluir
  57. Olá Juliana!
    Acho que todos temos o direito de emitir opiniões, sejam elas quais forem.
    Que fique bem claro que não estou aqui para criticar a sua opinião propriamente, mas para chamar atenção pela maneira grosseira e rancorosa como vc a expressou. Uma pena vc não ter percebido que a mesma coisa poderia ter sido dita de maneira mais delicada, educada e, (por que não?) eficiente.
    Quem sabe com um pouco mais de maturidade e sensibilidade vc apenda isso...
    Vamos manter um bom nível de discussão em qualquer que seja o espaço que frequentemos, minha gente!

    ResponderExcluir
  58. Oi! Sou nova nesse negocio de blog. tanto que nem sei direito como usar. Também sou deslecsa portanto não escrevo muito bem porém adoro me expressar. Durante minha adolescência fui muito sua fã por qausa do seu livro,você não imagina o que tive que enfrentar pra consegui assistir a peça,kk sabé como é pobre e uma mãe completamente sem noção que achava suas idéias muito fora da realidade que ela planejava ou que ela acreditava.Lembro de ter conseguido entrar de bicão no teatro onde estavam a Ingride a Debora e a Carol peguei autografos e tudo que mais tarde minha mãe jogou fora salvei o da Ingrid, pedi para ir ao teatro lembro que um amigo disse que pagaria pra eu ir porque sabia que naquele momento era superhiper importante, mais uma vez a Dona edna empatou. Mais não desisti acredita que fuji de casa entrei por traz do teatro junto com a moça da limpeza e consegui entrar e assistir a peça claro que perdi o começo e sentei na escada, mais assisti voltei para casa só no dia seguinte kkk por conta disso levei minha primeira e unica surra de meu pai que creio eu ter deixado minha mãe muitíssimo satisfeita perdi meu aniversário de 15 anos. e acabei conhecendo melhor uma amigo que mais tarde se tornou ... o pai de meu primeiro filho hoje tenho 32 e dois filhos mais parece que foi ontem.Moro em Florianópolis e tenho uma filha de 1 ano e 4 meses que quase morri para ter ela mesmo assim ela ainda mama no peito apesar de todos ao meu redor acharem um absurdo, tambem esperei 12 horas de bolsa rota esperando ela nascer com aquela dor anormal. descobri que tenho lupus a quatro anos então era muito arriscado estar grávida só para ter uma idéia com 3 meses operei a apendici, duas internações de peneumonia e etc pra não achar que minha vida é monota meu filho mais velho de 14 anos estudava em uma escola publica onde foi ameaçado de morte quendo ele resolveu enfrentar o bulling que vinha sofrendo em silêncio, porque achou que como minha gravidez era de alto risco não podia me trazer problemas, meu marido trabalha em navio de cruzeiros o vejo somente 5 meses por ano, sou quase uma mãe solteira que morreria tranquilamente por meus filhos como sou capaz de ressucitar para protege.los então acredito que faço parte daquele time de mães por mais erradas que pareçam o que todas querem é paz e felicidade para seus filhos.
    Não sei porque esquevi tanta coisa, kkk
    Mais o que eu queria mesmo era dizer que durante muito tempo da minha adolescencia vc foi uma inspiração, quem sabe agora como mãe.
    beijocas fica com Deus. dancatyy2@hotmail.com

    ResponderExcluir
  59. Maria Mariana , acho que sou a mais nova por aqui , Se não sabe o sacrifíssio que passei para achar este blog , e o sacrifício que estou passando para comprar os DVDS e um livro do confissões de adolescente , se vc ler oque escrevo , já fico muito agradecida ! Sou uma grande fã sua com apenas 13 anos de idade ! Sou de uma família pobre de são paulo capital . E conheci o Confissões de Adolescente quando tinha acabado de completar 13 anos , Estava eu mudando de canal sem rumo na TV . Até que vi uma coisa interresante sabe , uma seriado diferente passando na TV CULTURA E vi aquele capítulo todo . Me apaixonei . Minhas amigas me chamam de brega pelo seria ser antigo , mas sei apreciar uma coisa boa . Quando terminei de assistir , eu corri atrás para saber mais sobre essa tal confissões de adolescente , pesquisei na internet sobre tudo . E fiquei encantada , então eu não era brega , sim , uma grande reconhecedora . Sabia que iria me identificar muito na quele seriado . Assim um mês passou e os capítulos do 1ª temporada foram se peretindo ... Até que uma tarde ás 5:30 coloqei no canal cultura e CADÊEE CADêE A MINHA SÉRIE , MESMO REPETIDA QUERIA ELA DE NOVO . Mandei tantos e-mail pedindo esse seriado de volta que nem sentia mais meus dedos de tanto escrever a lamentar . MEUS PEDIDOS FORAM ATENDIDOS . A cultura agora está passando novamente a 1ª temporada de confissões de adolescente toda sexta ( pouco eu acho ) ás 18:00 Não perco uma sexta . E eu tento tento tando conseguir um DVD COM TODAS AS TEMPORADAS . E eu não vou desistir . Sei de quase tudo do Confissões de adolescente . E SEI TBM QUE SE VC LER ESSA MENSAGEM VAI SE ENCANTAR COMIGO ! Se vc ler essa mensagem já estarei tão grata que vc não faz idéia . Se um dia te encontrar juro que minha vida está completa . Pelo menos uma parte dela !


    BEIJOS EU TE ADMIRO MUITO BEIJOS EM SEU LINDO CORAÇÃO ! Seus filhos são lindos ! E VC PARECE QUE A IDADE NÃO PESA QUELA QUE EU VI NO SERIA DO É EXATAMENTE A MESMA QUE ESTOU VENDO AQUI ! BEIJOS EU TE ADMIRO MUIITO .

    ResponderExcluir
  60. Prezada Maria Mariana,bom dia! e um feliz 2010 para você! Somos da Mzotv "www.mzotv.tv.br".Um canal de TV Online com mais de 15 mil acessos mensais. Gostaríamos de lhe convidar,para colaborar conosco,escrevendo uma coluna mensal com o tema " A mulher é uma arte!". Caso venha ser de seu interesse,queira por favor,atualizar um e-mail de contato seu. Seria para nós da Mzotv,uma honra,poder contar com o talento,carisma e beleza de uma grande artísta como você,em nosso portal. No aguardo de sua estimável consideração,
    Atenciosamente,
    Marízio Prudencio
    Dir.Pres.Mzotv Multimídia
    e-mail: marizio@mzotv.tv.br
    www.mzotv.tv.br

    ResponderExcluir
  61. Oi Mariaaaa... cadê vc mulher???
    Saudades!
    Vamos conversar?
    Um beijo
    Fran

    ResponderExcluir
  62. Maria Mariana, meu nome é Fernanda Pompeu. Vou fazer uma matéria para o especial Yahoo Mulheres. Gostaria muito de falar com você. Deixo meu e-mail para que você faça contato, deixando o seu telefone. Aí vai: fernandapompeu@gmail.com. Aguardo. Abraços.

    ResponderExcluir
  63. nossa é vc mesma??
    aaii que lindo *--*
    seguindo vc!! me segue tmb please!!!
    Vejo vc no "Um menino muito maluquinho" passa todo dia (ainda) e eu vejo sempre nao perco! Ja vi todos mais, continuo vendo kkk mto legalzinho!! kk
    beijos

    ResponderExcluir
  64. ola, espero q volte a postar em breve
    adoro a sexta pra ver confissoes na cultura....
    parabens por td seu trabalho
    otima escritora, atriz e mae
    e q só tende a crescer com as criticas
    =*
    ass: lilian

    ResponderExcluir
  65. nossaaaaaaa meooooooo adoro vc!! viu!!!! que DEus te abençoe!! bjosssssss lorayne bianchini

    ResponderExcluir
  66. OLÁ MARIA MARIANA QUERO LHE PARABENIZAR PELO LIVRO, LI ALGUNS TRECHOS E VOU COMPRÁ-LO. TAMBÉM ESCREVI UM LIVRO SEMELHANTE. "MÃE NA MASSA - A IMPORTÂNCIA DA MÃE NA ARTE DE EDUCAR". EM RELAÇÃO ÀS CRÍTICAS, ISSO É NORMAL NÃO LIGUE NÃO, POIS NO MUNDO EM QUE VIVEMOS HOJE, MUITOS NEM PARAM PARA PENSAR NOS BENEFÍCIOS DE ESTAR PERTO DE SEUS FILHOS. SOU DE MACAÉ, NÃO SEI SE MORA LÁ, UMA VEZ ME DISSERAM QUE VOCÊ MORAVA LÁ. ADMIRO TUDO O QUE VOCÊ FAZ E FIQUEI ADMIRADA DE LER QUE VC TEM 4 FILHOS, PARABÉNS !! ACHEI LINDA SUA CORAGEM, POSTURA E DETERMINAÇÃO. UM BEIJÃO E SE QUISER ENTRE EM CONTATO COMIGO POR E-MAIL, TINHA MUITA VONTADE DE ENCONTRAR ALGUÉM QUE PENSASSE COMO EU. BEIJOS
    POLIANA LEAL

    ResponderExcluir
  67. MEU E-MAIL: POLIANALEAL@YAHOO.COM.BR

    ResponderExcluir
  68. vc é linda.
    e eu amo voce, dimais.
    bjinhos de uma fã.

    ResponderExcluir
  69. Nossa Mariana, te acompanho desde as confissões de adolescente, tenho 29 anos e dois filhos, minha profissão: Mãe de corpo e alma!1 Larguei medicina qdo minha filha nasceu e amo viver nesse planeta mãe integralmente!! Achei um máximo seu livro e concordo em tudo!! Tive dois partos naturais e pretendo ter mais dois!! Filhos são sementes q plantamos e cuidamos para deixarmos esse mundo melhor, com amor e paciência!1 Te admiro!!

    ResponderExcluir
  70. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  71. Olá Mariana!
    Estou bem Feliz de ter encontrado palavras que confirmam meu sentimento de ser mãe integral! Feliz de ter encontrado uma brisa leve que pode me auxiliar a respirar melhor nestes dias difíceis de ser mãe e ser um monte de coisas mais! Esta semana mesmo quero encontrar seu livro pra comprar. Venho ler e volto aqui pra conversar mais com você!!
    Grata!!!
    Polyanna Fernanda Silva
    São Paulo.

    ResponderExcluir
  72. Oi Maria Mariana, foi um imenso prazer acompanhar a sua carreira, adoro o que escreve, alias voce escreve muito bem e espero poder ler mais obras suas...voce nao deveria parar. Seus filhos sao lindos, parabens pela mae e pela pessoa que voce demonstra ser. Sempre quis ter a chance de ao menos dizer o quanto te admiro e ainda que possa parecer loucura porque nao nos conhecemos pessoalmente quero dizer que gosto demais de voce, gostaria que pudesse ler alguns textos meus, sua opiniao sera muito importante.
    Mais uma vez parabens!
    Adoro e admiro sua sinceridade!
    beijos
    Carol
    Meu blog : www.redigindosentimentos.blogspot.com e meu e-mail carol17062@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  73. Sinceramente tem gente que aprende a ler mas nao aprende a interpretar, Maria Mariana em momento algum do livro ofendeu alguem ou tentou impor suas ideias, ao contrario, mostrou mais uma vez o ser humano especial que sempre foi, que com sua delicadeza e grandeza de alma conquistou a todos nos anos 90. Saudades...

    ResponderExcluir
  74. Mariana
    Volte a postar , e não ligue para esses comentários maldosos .
    E os que dizem que você mudou em comparação , com a adolescente , o que eles esperavam , que você continuasse com 19 anos pra sempre ?!
    E , sinceramente , só de assistir o episódio Uma mulher moderna , quando a Diana , consola a Carol , muitas frases dela , parecem com a suas de hoje .
    Parabéns pela sua coragem , tanto em relação ao confissões de adolescente , quanto ao confissões de mãe .
    Volte a postar, por aqui , se puder, tenho certeza que teus fãs ficariam muito felizes .
    Forte abraço.

    ResponderExcluir
  75. Vi a Daniele Valente hoje no Teatro e lembrei de você quando tinha três anos e brincamos os três, você, não me lembro o nome da menina que que tinha a sua idade e era filha da caseira do local onde foi filmado Mariana Dorotéia Íris. Acabei escrevendo um post sobre isso: http://umhomempensando.blogspot.com/2010/09/maria-mariana-doroteia-iris.html

    ResponderExcluir
  76. Isto não é um comentário... não é pra aceitar tah....
    Preciso entrar em contato com você e o não cabe nos comentários, não achei nenhum email pra contato no seu blog...
    Se puder me envie seu email.
    hugz
    Shan
    shantall@globo.com

    ResponderExcluir
  77. Oi Mariana,adorei o blog,eu tb sou uma super mãe coruja...parei de trabalahar pra cuidar da minha princesa que agora tem 4 anos ,vou voltar em breve a pegar no batente.beijo pra vc e seus filhos lindos.

    ResponderExcluir
  78. Olá Maria Mariana Meu nome é Sara Oliveira.
    Tenho 14 anos e sei que sou ousada por pedir o que vou lhe pedir.
    A menos de duas semanas sofri uma decepção amorosa 'POR FAVOR LEIA ATÉ O FINAL' então resolvi escrever sobre a mesma num projeto DEMORO. Mas não conheço ninguém desse meio e queria muito publica-lá e mesmo se não for pra editar eu queria poder te mostrar.
    Sei que a pouco tempo reestreou o 'Confissões' e foi um sucesso com novos talentos então me de a chance de poder ser um novo talento.Por favor me retorne. Obrigada

    ResponderExcluir
  79. Oi MARIANA, meu Nome é Anne Danielle, tenho 11 anos, Moro em São Bernardo do Campo-São Paulo, Faço Teatro e Gostaria de Perguntar se Você, está dirigindo ou escrevendo alguma peça de Teatro, ou uma Novela? Se estiver estou aqui para qualquer papel..kkk. Tenho 1,57. Me responde pelo meu email?: anne.dani@hotmail.com.
    AGORA me Bateu saudades de Assistir Confissões de Adolescentes.Me responde? Beijos.

    ResponderExcluir
  80. Mari ! Gosto muitoooo de você e de seu trabalho. Há um tempinho li que vc foi morar na cidade que nasci. Vou devorar seu blog e ler seu livro. Parabéns pelos lindos filhos. Beijos

    ResponderExcluir
  81. Querida Mariana - sou sua fão desde Mariana Dorotéia Íris e depois adorei, me diverti, me emocionei com Confissões de Adolescentes, a série.
    Perdi de comprar os dvd quando foram lançados e não os encontro mais. Você teria alguma dica para me dar? Ou sabe se há planos para relançá-los no mercado?
    beijos e obrigada
    Raquel

    ResponderExcluir
  82. Oiiiiiiiiii,
    Maria Mariana, estou adorando o livro Confissões de adolescentes, foi indicadopela minha professora de Sociologia e as discussões em torna da leitura será em breve.
    Gostaria de saber se no capítulo sobre aborto você realmente abortou ?Não ficou claro para mim.
    Sou de Caxias-MA
    Bjosss

    ResponderExcluir
  83. oi mariana!!
    tambm estou vivendo esse momento de dedicaçao p minha filha, e nao me arrependo.
    assito bastante c ela a serie q vc fez o menino muito maluquinho. muito legal!!!
    poq vc não da continuidade nas gravaçoes, faria bastante sucesso hj, tenho certeza.visto q mesmo repidido tem bastante audiencia imagine novo.

    ResponderExcluir
  84. Prezada Maria Mariana

    Em primeiro lugar, quero parabenizá-la, não apenas pelos livros escritos, mas por tudo o que aconteceu a partir do primeiro livro. Também por você ter aberto mão de uma carreira inteira para cuidar dos seus filhos, que são lindos! Tenho muita admiração e respeito por você.
    Agora, vamos ao trabalho!
    Sou da Gerência de Comunicação da Petrobras – Regional Baía da Guanabara-RBG, localizada na Ilha do Fundão, Rio de Janeiro, e gostaria de convidá-la para fazer parte do júri técnico da 15ª edição do Prata da Casa.
    Trata-se de um projeto que incentiva a força de trabalho do Sistema Petrobras a revelar suas habilidades artísticas, onde participam empregados de todas as unidades da Petrobras, no Brasil e no Exterior.
    A modalidade de Literatura, com as categorias conto e poesia, acontecerá aqui, na RBG, no dia 20 de junho/2012. Espero de ter a honra de contar com sua ilustre presença no nosso júri técnico.

    Pensei em você porque, além de ter a oportunidade de conhecê-la pessoalmente, você, por ser uma pessoa conhecida na mídia, ajudará a abrilhantar nosso projeto. Além disso, o trabalho (leitura e seleção das obras) poderá ser realizado em casa mesmo. Apenas precisaremos da sua presença física dois dias:

    1º - dia da seleção das obras para
    2º - dia da premiação, onde faremos um evento e apresentaremos o júri.

    Gostaria muito que você aceitasse meu convite para ser júri do Prata da Casa.

    Para mais informações, por favor me ligue nos telefones (21)3865 2456 ou celular (21)8668 1923.

    Aguardo breve contato.

    Sds,

    ResponderExcluir
  85. Maria Mariana,
    Decidi ser mamãe este ano e tinha ficado super entusiasmada quando encontrei seu blog! Gosto das suas idéias, mas me senti órfã ao ver que você parou de escrever tão rápido. Imagino que tenha desanimado por desrespeito de pessoas que não partilham do seu ponto de vista e outras que nem buscam entendê-los. Uma pena, pois eu me inspiraria bastante com as suas palavras. Tenho medo de hospital, de parto, de agulha! Mas acredito que quando eu engravidar o instinto materno virá com tudo e me ajudará a superar essas bobagens.
    Se você tiver outro blog, divulgue aqui, por favor. Eu fiz um, no qual já estou falando sobre os vários pensamentos/sentimentos que estão me rondando neste momento. Ainda é um pouco superficial, nem grávida estou! Mas escrever me ajuda a entender, conhecer e vai ser bem bacana deixar registrada a melhor escolha da minha vida!
    Beijos e parabéns!

    ResponderExcluir
  86. vc tem twitter? adorei!! e tb gostava de assistir o "Confissões de Adolescente"... agora vou ler o "Confissões de mãe" já que estou esperando meu anjinho chegar!!

    ResponderExcluir
  87. PRECISO MTO FALAR COM VC!

    como consigo????????????

    Admiro mto seu trabalho, quero saber notícias de vc....


    r.n.ferreira@hotmail.com

    ResponderExcluir
  88. Maria Mariana,
    a tecnologia tem seus problemas, mas nos possibilita uma oportunidade como esta.Dizer diretamente para uma autora a importância dos seus livros.Já tinha lido Confissões de Adolescente.Hoje estou grávida entrando no quinto mês,não conhecia Confissões de Mãe.Ontem achei por acaso ou melhor encontrei o que precisava ler nesse momento.Rapidamente terminei uma leitura muito prazerosa e que me trouxe conforto nesse momento mágico, mas cheio de mistérios e medos.Li alguns comentários negativos sobre o seu texto o que me fez refletir como algumas mulheres que lutam pelos direitos da mulher apenas substituiram a rigidez de um modelo patriarcal por outro rígido modelo de como deve ser a mulher na atualidade. Parabéns pelas suas palavras, pelos seus filhos e pela coragem de compartilhar sua experiência, sem demonstrar intolerância as diferenças. Como percebi em alguns comentários confusos sobre o seu livro.Grande abraço, Virginia.

    ResponderExcluir
  89. Oi Maria, como faço para entrar em contato com vc por email?
    Obrigada
    Juliana

    ResponderExcluir
  90. Olá, o meu nome é Emília, tenho 18 anos e moro no interior da Bahia... e sou muito sua fã! Adorei vc em confissões de adolescente e um menino maluquinho! Vc é uma atriz incrível! Te adimiro muito! Obrigado pela atenção. Meu e-mail: e-milia.magalhaes@hotmail.com

    ResponderExcluir
  91. Lembro-me com se fosse ontem quando o ônibus de excursões partiu da Universidade Gama Filho, em Piedade, subúrbio do Rio de Janeiro, levando 30 e poucos alunos da 8º série do Colégio Piedade (que funciona no interior da Universidade) para um "passeio" pela professora de Português.
    O passeio era para se assistir a uma peça. Novidade na época, a peça era "Confissões..." e para os alunos, além de ser uma novidade uma peça de teatro infanto-juvenil, era uma verdadeira aventura is até a ”Zona Sul”, ver o lado rico da cidade, e uma peça que era voltada para uma realidade que ocorria no Leme, no Leblon, em Copa, em Ipanema.

    Era como ouvir uma história contada para outras pessoas em um ambiente que, apesar da mesma cidade, era completamente diferente da realidade da Zona Norte da época.... Estamos falando do Rio de Janeiro e do Brasil do final da década de 80 e início da de noventa, hiperinflacionário, muito mais pobre e sentindo os efeitos da década perdida. Éramos pobres, embora o colégio fosse “pago” , indo em direção a uma degustação do que os “ricos” vivenciam todos os dias.

    Apesar das diferenças e dos cenários de fundo incluírem lugares tão diferentes do nosso cotidiano, a identificação foi instantânea: as meninas da classe se identificaram com os sonhos e amores das meninas da peça. Os garotos da classe se apaixonaram instantaneamente pelas atrizes. Em especial eu pela Maria Mariana e Ingrid Guimarães... Ah! Que gatas! A Maria Mariana com as mechas avermelhadas e a Ingrid com suas curvas ....

    Bem depois, ainda via com certa inveja quando sabia que alguém namorava a Maria Mariana ou que ela estava grávida (de novo)... rsrsrs Claro, apenas uma doce lembrança de um passeio escolar....

    ResponderExcluir
  92. Que legal !!! Vi na tv agora a pouco propaganda do Confissões, vim pesquisar na internet e achei esse seu blog.
    Fico muito feliz por você!! Te desejo muito sucesso Mariana !!! E parabéns, as crianças estão cada dia mais lindas, e a Laurinha então... uma criança querida, doce e sensível, que consegue perceber os pequenos gestos de carinho. Se um dia eu tiver uma filha, quero dar o nome de Laura :)
    Um beijo grande pra você e sua família linda. Se você estiver por lá, quem sabe não nos encontramos quando eu for visitar meu irmão.
    Alessandra (Curitiba) - Irmã do Rafa UV - RDO

    ResponderExcluir